Escolha uma Página

Ortopedia Esportiva


É a área da ortopedia especializada na prevenção e tratamento das lesões esportivas e no trauma do esporte. O ortopedista esportivo realiza avaliação, acompanhamento e prevenção de lesões no atleta ou esportista, seja ele profissional, amador ou eventual. É papel importante do ortopedista esportivo o tratamento de lesões clinica ou cirurgicamente, além de orientar e acompanhar a reabilitação para o retorno ao esporte.

Pacientes com lesões e doenças pré-existentes podem praticar atividade física sob a orientação médica. Para isso devem realizar avaliação pré-prática esportiva com o objetivo de investigar possíveis riscos de eventos cardiovasculares com a prática inadequada de atividade física. Após a investigação e identificação de fatores de risco, serão orientados para a prática da atividade física com intensidades mais adequadas à suas condições.

Segundo o Colégio Americano de Medicina Esportiva e a Sociedade Americana de Cardiologistas, a atividade física moderada melhora a função cardiorrespiratória em pessoas sedentárias, assim como diminui o risco de infarto e acidentes vasculares cerebrais. Além disso, promove a saúde e a perda de peso ou manutenção adequada dele. Para conseguir todos esses benefícios, bastam 30 minutos de atividade física na maioria dos dias da semana, totalizando 150 minutos semanais para os adultos. Esses minutos podem ser distribuídos da seguinte forma:

  • 30 a 60 minutos de exercício moderado 5 vezes por semana ou
  • 20 a 60 minutos de exercício intenso 3 vezes por semana ou
  • 10 minutos de múltiplas sessões durante o dia são aceitáveis para pessoas muito ocupadas.

É importante lembrar que a progressão deve ser gradual em tempo, frequência e intensidade. Os exercícios devem ser diversificados, isto é, intercalar atividade física aeróbica com atividade anaeróbica. Exercícios de flexibilidade (alongamento) devem ser realizados após atividade física, pelo menos 2 a 3 vezes na semana, por 10 a 30 segundos e com repetições de 2 a 4 vezes, no ponto de desconforto para que haja melhora da flexibilidade.

Atividades Aeróbicas Atividade Física Anaeróbica
Corrida, natação, hidroginástica, bicicleta, elípticos (transport e cross), modalidades dinâmicas como dança e jump ou esportes com bola e lutas marciais. Exercícios de força como musculação, ginástica localizada, pilates, abdômen, tai chi, yoga, exercícios funcionais e lutas marciais (atividade aeróbica e anaeróbica).

Para os idosos a atividade mais recomendada é o exercício funcional que melhora a habilidade motora, coordenação, equilíbrio e agilidade. Deve ser realizado 2 a 3 vezes por semana e têm como exemplo o tai chi e a yoga, mas pode ser realizado na sala de musculação. Esses exercícios ajudam a prevenir quedas e lesões nos idosos e pacientes com Parkinson, mas são ideais para todas as idades e tipos de treinamentos. São também os mais utilizados pelos grandes atletas da natação e atletismo americanos, fazendo parte de seu treinamento de força e resistência.

Existem trabalhos científicos que demonstram melhora dos sintomas e da qualidade de vida com a atividade física de pessoas com artrite reumatóide, artrose e fibromialgia. São indicados para essas pessoas exercícios de força e resistência associados a exercícios aeróbicos. Assim, conforme adaptação e estágio da doença é possível realizar musculação, bicicleta, natação, hidroginástica e exercícios elípticos sempre sob orientação médica e com supervisão do educador físico.

Por fim, para pessoas com problemas posturais, exercícios aeróbicos em aparelhos elípticos e pilates são importantes para prevenção da dor e sua recorrência. Esses exercícios aliados à ginástica postural são utilizados como manutenção do tratamento com RPG e fisioterapia postural. Vale lembrar que para esses pacientes é indicado fortalecimento da musculatura paravertebral, abdominal e pelve que estabilizam o centro de gravidade do corpo, o CORE. Esse tipo de exercício, além de prevenir lombalgias e ajudar a manter a boa postura, também permite a estabilização dinâmica e estática do corpo, melhora a coordenação motora e previne lesões.

Essa é outra modalidade esportiva utilizada por atletas olímpicos de diversas modalidades como treinamento para melhorar o desempenho e manutenção da força de diversos grupos musculares, evitando lesões.


Dra Karina Levy Siqueira Rezende
Ortopedia e Traumatologia do Esporte Medicina Esportiva

Responsável Técnico: Dr. Aires Duarte Junior CRM: 36.951

SIGA-NOS

Chat Online